terça-feira, 24 de outubro de 2017

Seu computador está lento? Nem sempre a culpa é da conexão


Um computador pode ser ou estar lento, basicamente, por dois fatores: a conexão ou o computador. Se for o primeiro, existem muitos aplicativos que medem a velocidade da rede e não deixam muita margem para a dúvida. Na maioria das vezes, no entanto, isso nem mesmo é necessário. Se seu computador só está lento em operações que envolvem a rede, muito provavelmente o seu problema é a conexão.

Quando a rede está funcionando bem, o problema pode ser o computador. Ele pode estar obsoleto para acompanhar as mudanças ou apresentar algum defeito, seja em hardware ou software. Se for pelo segundo motivo, tome algumas medidas para aliviar a carga do computador. Assim, você vai poder navegar com mais agilidade.

1- Desative aplicativos

Alguns aplicativos consomem muita memória e taxa de conexão. Eles usam uma parte disso para funcionarem. É o caso de programas como Torrent e, ainda, streamings.

Se você for baixar algum material, faça isso no momento em que não esteja usando o computador para outra coisa. Do mesmo modo, quando for assistir a um vídeo em streaming, deixe as outras tarefas de lado.

Além disso, muitos programas entram automaticamente na inicialização automática. É necessário verificar se isso acontece e desmarcar essa opção.

No Windows, basta clicar com o botão direito sobre o ícone de janela, no lado esquerdo inferior, Gerenciador de Tarefas e escolher a opção Inicialização (ou Startup) -- lá será possível ver os programas que são inicializados com o sistema. Já no Mac vá em Preferências de Sistema > Usuários & Grupos > clique no usuário e escolha os programas de inicialização.

Para corrigir os desperdícios, use o "Gerenciador de Tarefas" no PC ou ou o "Monitor de Atividade" no Mac. No Windows, basta dar um Ctrl + Alt + Del e clicar na opção Gerenciador de Tarefas, ou usar o Ctrl + Alt + Esc para abrir o gerenciador diretamente. No Mac, vá ao Finder e clique, nessa ordem, em Aplicativos > Utilitários > Monitor de Atividade. Verifique se sua memória RAM não está sendo perdida com coisas que você nem mesmo sabe que existe.

2 - Vasculhe as opções de seu navegador

Independentemente da escolha que fez para usar como navegador -- Chrome, Internet Explorer, Firefox etc.--, sempre o mantenha atualizado.

Deixe o navegador sem temas. Escolha o mais simples possível, mesmo que ame personalizar suas coisas. Com isso, também seria adequado desativar os complementos, pelo mesmo motivo dos programas citados no item 1. Para desativar extensões, vá ao menu principal do Chrome (no lado direito superior do navegador) > Mais ferramentas > Extensões.

Não abra muitas abas e janelas quando estiver navegando, e tenha paciência. Para diminuir a quantidade de arquivos que você baixa toda vez que entra em uma página, mude a configuração do tamanho dos arquivos temporários. Se estiver muito alto, isso também pode prejudicar a navegação. Para limpar dados de navegação, basta digitar a combinação Ctrl+Shift+Del, que abrirá a ferramenta de limpeza de dados de navegação.

3 - Procure os "comedores" de conexão

Um computador com muito tempo de uso pode acumular muitos malwares (abreviação do "malicious software", termo em inglês que nomeia os softwares maliciosos). Quem pensa estar a salvo desses programas por não visualizar conteúdo considerados impróprios, como pornografia ou pirataria, está enganado. Eles podem estar em sua caixa de e-mails agora mesmo.

Um malware pode se manter ativo em segundo plano sem atrair a atenção, mas deixando seu computador lento por trocar informações constantemente. Para encontrar um desses em seu sistema, procure um programa como o Malwarebytes. Além de ajudar a proteger de futuras ameaças, ele fará uma avaliação rápida para detectar e bloquear programas maliciosos.

Fonte: tecnologia.uol.com.br

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Como remover vírus de pendrive que converte arquivos e pastas em atalhos

Existe um tipo de praga que vem perturbando a vida de muitos usuários de mídias flash há anos. Trata-se de um vírus que infecta o pendrive e converte documentos e programas em meros atalhos. Tal atividade impede que o utilizador abra qualquer coisa e muitas vezes leva a uma atitude desesperadora: a formatação da unidade removível.

A solução do problema não é tão complicada e pode poupar algumas dores de cabeça. Primeiramente, vale salientar que o vírus não apaga nenhum arquivo do pendrive. Esta praga apenas oculta documentos e cria atalhos falsos, por isso mantenha a calma.

Agora que sabemos que os arquivos, em teoria, estão no pendrive, devemos verificar se o problema em questão está relacionado ao vírus. Para averiguar se seus arquivos continuam na unidade, veja se no ícone do pendrive (disponível em “Meu Computador”) o espaço utilizado continua idêntico ao que era anteriormente.


Caso o Windows informe que a unidade está vazia, então é possível que o vírus que você pegou seja outro. Do contrário, a execução dos passos a seguir deverá resolver seu problema.
Recuperando arquivos

1. Abra o Prompt de Comando (basta pressionar a tecla "Windows" e então inserir o comando "cmd.exe").

2. Já no Prompt, digite o seguinte comando: "attrib -h -r -s /s /d I:\*.*" (Nota: a letra “I” deve ser substituída pela letra atribuída ao seu pendrive).


Método manual

Acesse a pasta que foi afetada pelo vírus e clique com o botão direito sobre o arquivo contaminado (que atualmente é um atalho). Abra as Propriedades do arquivo.

Acesse a aba “Atalho” e remova quaisquer informações que não tenham relação com o caminho do arquivo em questão (realizar o processo no item "Destino" e "Iniciar em"). Veja o exemplo abaixo:


Atenção redobrada!

Caso seu pendrive apresente anormalidades, é possível que outros vírus (como malwares que criam pastas adicionais e inserem arquivos desconhecidos) tenham infectado o componente. Alguns vírus podem criar pastas com nomes aleatórios, onde os vírus podem estar armazenados.

Nesses casos, após realizar as etapas acima, você pode deletar os arquivos e pastas indesejadas e usar um antivírus para conferir se não há outros itens infectados (confira o exemplo na imagem abaixo, em que o antivírus BitDefender encontrou um Trojan).


Atenção: é importante que você tome o devido cuidado para não executar itens suspeitos, já que eles podem causar danos a outros arquivos do computador.

Etapas finais

Utilize um bom antivírus e analise o pendrive e o HD.
Instale um anti-malware no seu computador e faça outra varredura no disco local e na unidade removível.

Se nenhum problema for informado pelos programas, então o vírus deve ter sido removido do seu pendrive. Em casos de persistência do problema, tente outros softwares.

Fonte: tecmundo.com.br

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Pequenas mudanças podem melhorar a velocidade do seu PC e evitar despesas com um novo computador

Em muitas situações, computador possui arquivos e programas que ocupam muito espaço e não são muito utilizados 
(Imagem: iStock)

Ao utilizar o computador pela primeira vez, ficamos impressionados com a velocidade do sistema. Com o tempo, a máquina perde o desempenho inicial e passa a executar programas com lentidão. Isso acontece, principalmente, porque ao criar arquivos e instalar programas novos, o HD (hard disk, ou disco rígido, em português) fica desorganizado e dificulta a leitura de informações.

Para evitar despesas com um novo computador , é possível tomar algumas medidas simples que ajudam a organizar o disco rígido e definir configurações mais adequadas para a máquina. Além disso, existem programas que ajudam a melhorar o processamento de informações no PC ou no Mac. Confira cinco dicas simples que ajudam a tornar a máquina mais veloz.


1) Remova programas e arquivos desnecessários

Manter na máquina programas que não são utilizados com frequência é um dos principais fatores responsáveis por alterar a velocidade do computador . Em muitas situações, o disco rígido fica sobrecarregado por conta de jogos e programas muito pesados. É importante verificar com frequência se a máquina conta com softwares que podem ser desinstalados.

Para remover programas, visite o Painel de Controle , procure pela aba Programas e clique em Desinstalar programa. A janela exibirá uma lista com o que foi instalado no computador. Em seguida, basta selecionar o programa desejado e clicar no botão Desinstalar. Ordenar os programas por tamanho é uma boa opção. Assim, fica mais fácil remover apenas os itens que farão uma diferença significativa no HD.

Arquivos antigos e utilizados em poucas ocasiões podem parecer inofensivos, mas dependendo da escala, podem ser os grandes culpados por deixar o computador lento. É importante conferir se existem muitos arquivos desse tipo na máquina. No Windows , a verificação deve ser feita por meio de programas de terceiros. SpaceSniffer e WinDirStar são opções gratuitas que ajudam a identificar os arquivos que ocupam mais espaço no disco rígido . No Mac, utilize o gerenciador de arquivos Finder . A aba Todos os Meus Arquivos permite saber tudo o que está instalado no aparelho e informa até mesmo quando cada arquivo foi aberto pela última vez.

2) Faça uma desfragmentação do disco

Se a remoção de programas não surtir efeito, o computador provavelmente precisa de uma desfragmentação de disco. À medida que arquivos e programas são criados e deletados, o computador inclui ou retira informações de locais diferentes do disco rígido, deixando-os separados e dificultando a leitura dos dados.

O procedimento organiza o conteúdo salvo no HD e possibilita uma leitura de documentos mais veloz. Para realizar a desfragmentação do disco no Windows, acesse o Painel de Controle e escolha a opção Sistema e Segurança. Em seguida, clique em Desfragmentar Seu Disco Rígido e selecione o disco que será analisado – a unidade "C:" é o padrão para o sistema operacional. Clique em Analisar Disco e aguarde. A desfragmentação pode levar horas para ser finalizada. Por isso, é interessante iniciar procedimento à noite, quando ninguém estiver usando a máquina.

Boa parte das correções no Windows pode ser feita por meio do Painel de Controle
(Imagem: Reprodução)

De acordo com a Apple, o Mac raramente precisa de uma desfragmentação pois o sistema organiza os arquivos automaticamente. Se o computador estiver lento, é possível utilizar o programa Utilitário de Disco para consertá-lo.

3) Evite executar programas ao iniciar

Se o principal problema do computador é a velocidade no processo de inicialização , verifique se existem programas configurados para serem executados automaticamente. No Windows, a verificação pode ser feita por meio do Gerenciador de Tarefas , que pode ser exibido por meio do atalho "Ctrl + Shift + Esc". Na aba Inicializar, selecione os programas indesejados e clique em Desabilitar.

No Mac, é possível remover programas da inicialização nas Preferências do Sistema . Em seguida, selecione Usuários e Grupos e escolha o usuário desejado. Ao abrir a aba Itens In. de Sessão, o usuário pode verificar o que está sendo executado quando liga o computador. Para remover um aplicativo, selecione-o e clique sobre o "-".

4) Elimine vírus e malware

Antivírus deve equilibrar bom desempenho e preço de acordo com a expectativa
(Imagem: iStock)
Alguns usuários acreditam que antivírus podem atrapalhar ainda mais o processamento do computador, especialmente em casos de máquinas mais antigas e disco rígido modesto. Entretanto, uma proteção extra pode ser importante não apenas para manter as informações seguras, mas também para evitar que vírus possam prejudicar o desempenho do PC.

É importante analisar qual o melhor antivírus de acordo com suas necessidades. O Microsoft Security Essentials vêm instalado em algumas versões do Windows, mas o usuário pode optar por programas de terceiros como Kaspersky, AVG e Panda Cloud, por exemplo.

O mesmo vale para o Mac. Apesar de muitos acreditarem que o computador da Apple não pode ser afetado por códigos maliciosos, é interessante mantê-lo com uma segurança adicional por meio de programas gratuitos como Avas e Sophos.

5) Use programas online

Atualmente, muitos programas disponibilzam versões web. O Office, por exemplo, pode ser usado diretamente no navegador em vez de ser instalado na máquina. Ainda existem opções como os aplicativos do Google Drive e o Adobe Buzzword, que permitem criar documentos de texto com quase todos os recursos do pacote da Microsoft.

Serviços de armazenamento na nuvem como Dropbox e iCloud também são saídas interessantes. Além de não ocuparem espaço no HD e serem executados com mais rapidez, alternativas online para os programas instalados no computador têm a possibilidade de serem acessados em qualquer lugar, facilitando a vida do usuário.

Fonte: tecnologia.ig.com.br